Alexandre Porto
O SOLAR DO JAMBEIRO SERÁ REABERTO AMANHÃ



(Memória, 22 de novembro de 2001)

As telhas do palacete foram substituídas na obra de restauração e recuperação que foi iniciada em 1997

No dia em que completa o seu 428° aniversário, a cidade de Niterói também comemora a reabertura de uma das suas construções de maior valor histórico e arquitetônico: o Solar do Jambeiro, em São Domingos, que acaba de ser restaurado pela Fundação de Arte de Niterói (FAN) e estará aberto à população a partir de amanhã.

Além de conservar aspectos históricos e estéticos do século XIX, preservados em seu conjunto arquitetônico, o Solar do Jambeiro deverá se tornar um centro de referência da pintura brasileira do século passado, passando a abrigar exposições dos mais importantes pintores paisagistas desse período.

Histórico

Originalmente construído em pedra e cal, numa chácara arborizada de São Domingos, o Solar do Jambeiro foi erguido em 1872 pelo comerciante português Bento Joaquim Alves Pereira para abrigar uma numerosa família. Com autênticos azulejos portugueses, é um exemplar notável da arquitetura residencial urbana de meados do século XIX.

Autênticos azulejos portuguêses foram artisticamente recuparados para compor a tradicional Casa
Em 1892, o solar foi vendido ao diplomata dinamarquês Georg Christian Bartholdy e em 1903 tornou-se sede do Clube Internacional. Entre os anos de 1911 e 1915, o palacete foi alugado às Irmãs Dorothéas, que nele instalaram o Colégio da Sagrada Família e, em 1918, passou a ser ocupado por Pedro de Souza Ribeiro, chefe da Guarda Nacional. A partir de 1920, a família Bartholdy passou a residir no palacete, realizando obras de modificação no interior.

Em 1974, a propriedade foi tombada pela Secretaria do Património Histórico e Artístico Nacional (Sphan), e em 1997 foi desapropriado pela Prefeitura de Niterói, que anunciou um projeto de reforma para resguardar a integridade física e restaurar aspectos históricos e arquitetônicos da construção.

Exposição

A exposição inaugural preparada para o Solar é uma apresentação das técnicas adotadas na própria recuperação do prédio e tem como objetivo conscientizar os visitantes a respeito da importância das intervenções restaurativas em prédios de valor histórico.

Os visitantes terão a oportunidade de rever com detalhes todo o processo de recuperação estrutural, substituição das telhas, desmontagem, recuperação dos jardins, recolocação dos pisos e os tipos de madeira existentes e inseridos durante a restauração das esquadrias.

Além de palestras e cursos, estão programadas também oficinas (workshops) com as técnicas utilizadas no restauro do Solar, entre elas a de restauração de azulejaria, decorações em gesso, serralheria, paisagismo e pintura. Toda a documentação gerada durante o processo de restauração do Solar do Jambeiro, desde os trabalhos de levantamento e diagnóstico até às obras de restauração estarão à disposição dos visitantes. O Solar do Jambeiro fica na Rua Presidente Domiciano, n°195.

Por Fábio Borges para O Fluminense



Publicado em 07/05/2021









Informes da Câmara Municipal ao Capitão-mor Gabriel Alves Carneiro
Gabriel Alves Carneiro responde ao Presidente da Província
Ação de desapropriação do Campo de D. Helena


aaaaaa

Com formação em Engenharia Florestal, eu, Alexandre Porto, já fui produtor orgânico de alimentos e apicultor, mas hoje ganho a vida como escriba (Enciclopaedia Britannica do Brasil, Fundação de Arte de Niterói). Há 20 anos me dedico a pesquisar a História de Niterói, minha cidade natal, do Vasco, meu incompreendido time de futebol, e da Música Popular Brasileira, minha cachaça. Por 15 anos mantive uma pioneira rádio online no Brasil, a "Radinha". Pra quem quiser me encontrar nas redes, seguem os links:
Facebook e Twitter